Brasil

Tabagismo piora a qualidade de vida de quem já teve câncer, aponta pesquisa

 

Os males do tabagismo na saúde como um todo já são bem conhecidos e vêm guiando políticas públicas há alguns anos. Um novo estudo sobre o hábito de fumar em pacientes que tiveram câncer tem potencial para guiar ações associadas ao tratamento oncológico que podem melhorar em muito a qualidade de vida das pessoas. O estudo multicentrico, liderado por José Nolazco, médico urologista da Universidade de Harvard, aponta que a qualidade de vida dos sobreviventes de câncer tabagistas é pior, especialmente para quem permanece fumando após o tratamento. A pesquisa usou o banco de dados Behavioral Risk Factor Surveillance, incluindo os anos de 2016 e 2020. Em uma amostra de 39.578 pessoas, descobrimos que fumantes atuais têm uma qualidade de vida significativamente menor em comparação com não fumantes. E ex-fumantes também mostraram uma qualidade de vida inferior, embora menos acentuada. A pesquisa “Impact of Smoking Status on Health-related quality of life in Cancer Survivors” foi publicada em uma revista prestigiada no mundo, a Frontiers in Oncology, e foi resultado da parceria do Dana-Farber Cancer Institute, da Universidade de Harvard (EUA), e da Oncoclínicas&Co (Brasil). Cristiane Bergerot foi a única brasileira a assinar o artigo.

Fonte: Achei Sudoeste

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo