Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Caetité celebra o Novembro Negro no Distrito de Maniaçu.

Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Caetité celebra o Novembro Negro no Distrito de Maniaçu.

Neste último sábado (20/11), o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Caetité, realizou comemorações alusivas ao Dia da Consciência Negra com a 1ª edição do evento Novembro Negro: “Resistir para ReExistir”, que ocorreu no distrito de Maniaçu. Foi um momento marcante e cheio de resistência e encantos. O evento teve em sua programação um dia de imersão voltada à cultura afro-brasileira com muita música, dança, palestra, desfile do Rei e Rainha, apresentações de Ternos de Reis e várias outras culturas populares.

O objetivo da data é de reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A data foi escolhida por coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou pela libertação do povo e contra o sistema escravista. O Dia da Consciência Negra é considerado importante no reconhecimento dos descendentes africanos e da construção da sociedade brasileira. A data, dentre outras coisas, suscita questões sobre racismo, discriminação, igualdade social, inclusão de negros na sociedade e a cultura afro-brasileira.

Para a realização do evento, o Sindicato contou com a parceria da CRESOL, UNICESUMAR, COOTRAF, COOMADAC e muitos outros patrocinadores. O evento foi aberto ao público e reuniu, aproximadamente, 500 pessoas na quadra esportiva do distrito. O evento foi marcado também por falas de combate ao racismo, que tem que ser combatido todos os dias. De fato, “a consciência da luta anti-racial deve estar em todos, o Dia da Consciência é para todas as pessoas, de todas as cores”.

Para o Presidente do Sindicato dos trabalhadores Rurais de Caetité, Gilson Fraga, sobre o Dia da Consciência Negra, destacou: “temos a satisfação de valorizar e homenagear nossa cultura tão bem representada em nossa cidade que, além de ser um símbolo de cultura, é também de resistência. Quero aqui deixar minha gratidão a equipe de organização, aos patrocinadores e apoiadores e, em especial, à vocês que se fizeram presente e fez deste projeto um grande sucesso”.

Para o Coordenador Geral da Cresol em Caetité, Paulo Sérgio, O Dia da Consciência Negra é uma data de reflexão. “Momento para lembrarmos a importância da cultura afro para a formação da cultura brasileira. É uma honra poder celebrarmos junto às comunidades rurais o Dia da Consciência Negra. Por isso, agradeço imensamente todas as comunidades presentes e dizer que em 2022 estaremos firmes e fortes para realizar a segunda edição”, pontuou.

Paulo acrescentou ainda, que foi naquele mesmo distrito que em 2000 a COOMADAC realizou a primeira edição da Festa da Mandioca. “É uma alegria muito grande lembrar que fomos pioneiros em relação a Festa da Mandioca e agora começamos uma nova história com o Novembro Negro”, disse.

Durante o evento, ocorreu as palestras sobre o Dia da Consciência Negra com o Professor Claudinho e sobre o Empoderamento Feminino com a Professora Rosemária Joazeiro; as apresentações dos ternos de reis das comunidades de Contendas, Junquinho e Vargem do Sal; e o 1º Desfile da Garoto e Garota Beleza Negra 2021, sendo escolhidos William de Jesus Santos e Arlene Maria da Conceição Araújo, Rei e Rainha, respectivamente.

Via: Daniel Santana e Renan Santos

Fotos: Daniel Santana

Artigos relacionados