Bahia

Professor de teatro é procurado por suspeita de abuso sexual em Itapetinga

 

Um professor de teatro que trabalhava na prefeitura de Itapetinga, é procurado pela polícia baiana por suspeita de cometer violência sexual contra alunos. As informações são do G1. Três vítimas registraram ocorrências na delegacia da cidade, contudo, as investigações apontam que o número pode ser maior. As primeiras denúncias contra o professor foram feitas em março deste ano, mas os crimes aconteceram em 2016, 2017 e 2019. Eles foram registrados como violação sexual mediante fraude. Em todos os três casos, as vítimas são adolescentes do sexo feminino, alunas do suspeito, que não teve nome divulgado. Uma das vítimas, que não quis ser identificada, contou que o abuso aconteceu em uma prática chamada “laboratório”, onde o ator ou atriz faz pesquisas ou experimenta vivências para “entrar no personagem”. Os preparativos para o espetáculo aconteciam na casa do suspeito. “Ele sempre falou que precisava fazer laboratórios, para mergulharmos no personagem, para termos uma outra percepção do teatro e nos tornarmos atrizes de verdade. Esse laboratório era só ele e a pessoa, era exclusivo”, contou. De acordo com o responsável pela investigação do caso, o coordenador da Polícia Civil de Itapetinga, delegado Ney Brito, o professor prometia o papel principal de peças para as vítimas e dizia que esse momento era importante para a apresentação. “Ele convencia essa adolescente a ir até a casa dele, fechava a porta e ‘simulava uma peça’. Começava a acariciar [a vítima] dizendo que ela precisava aprimorar os entendimentos nessa parte de sentimentos”, detalhou. Depois da primeira denúncia, feita em março deste ano, outras surgiram nas redes sociais e são investigadas. Pelo menos 15 pessoas afirmam ter sido abusadas pelo professor. Segundo a polícia, alguns desses abusos aconteceram enquanto o suspeito trabalhava no Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) de Nova Itapetinga, entre 2017 e 2020. Em nota, a prefeitura informou que nesse período nenhum crime e nenhuma situação de má conduta foram descobertos ou relatados. Em 2023, o professor foi contratado novamente, como orientador de idosos através da Secretaria de Desenvolvimento Social. Neste ano, após a prefeitura de Itapetinga tomar conhecimento das denúncias feitas em março, ele foi desligado.

Fonte: Achei Sudoeste

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo