PRESOS NA ARGENTINA, ENFERMEIROS FURTARAM CENTENAS DE VACINAS PARA APLICAREM EM CASA

PRESOS NA ARGENTINA, ENFERMEIROS FURTARAM CENTENAS DE VACINAS PARA APLICAREM EM CASA

Quatro pessoas foram presas na província argentina de Santiago del Estero por participação no roubo de quase 300 doses da vacina contra Covid-19. Segundo as investigações, um casal de enfermeiros responsável pelo furto aplicava os imunizantes em sua casa e cobrava de 20 mil a 30 mil pesos por injeção, o equivalente a R$ 1.193 e R$ 1.790 na cotação atual.
As autoridades apontaram que Dante Daniel Díaz, enfermeiro com acesso ao depósito de vacinas na sede local do Ministério da Saúde, roubava poucas quantidades de doses por vez para aplicá-las junto com sua esposa, Angélica Coronel, na residência onde moravam no sul da capital de Santiago del Estero.
De acordo com o jornal La Nación, o grande roubo foi realizado há poucos dias, quando o enfermeito mentiu para o pessoal do Exército Argentino que custodia o ultracongelador instalado no Ministério da Saúde provincial. Na ocasião, ele disse que teria que guardar um lote de vacinas que haviam sido devolvidas. Sem saber que estava sendo filmado, Díaz encheu uma caixa com imunizantes, colocou na mochila e deixou o local.
Após suspeitas da falta de imunizantes e da recontagem oficial, a chefe de imunização Florencia Coronel confirmou o furto com as imagens das câmeras de segurança. Ela denunciou o casal e repassou as informações às autoridades.
Na casa dos enfermeiros, os agentes encontraram 268 doses da Sputnik V, outras 14 da Sinopharm e mais uma da Covishield. Além disso, foram achadas outras 510 doses de vacinas sem relação com a Covid-19. Todos os imunizantes foram transferidos pelo Exército sob os protocolos de conservação e já estão novamente no Ministério da Saúde.
A polícia também apreendeu uma arma de fogo, seringas, agulhas, luvas e máscaras descartáveis, além de cremes e cadernos de vacinação contra o coronavírus. No endereço, funcionava uma clínica clandestina de vacinação. A operação ainda encontrou 734.500 pesos em dinheiro.

Nesta segunda (19), outras duas pessoas que agiam junto com o casal foram detidas. Todos são acusados de furto agravado e adulteração de substâncias médicas em prejuízo do Estado.
Depois de nova recontagem, as autoridades confirmaram a falta de 68 doses da vacina Covishield. Segundo os investigadores, elas teriam sido aplicadas em troca de grandes quantias de dinheiro. A apuração agora está voltada a descobrir a lista de pessoas vacinadas clandestinamente, as quais também serão detidas uma vez comprovadas suas identidades.

Fonte: Epoca

Artigos relacionados