Petróleo cai forte com sinais positivos das negociações entre Rússia e Ucrânia

Petróleo cai forte com sinais positivos das negociações entre Rússia e Ucrânia

Os preços do petróleo abriram em alta, mas passaram a ser negociados em queda firme nesta terça-feira (29), com os investidores avaliando positivamente a nova rodada de negociações diretas entre Ucrânia e Rússia.

A Rússia prometeu reduzir suas operações militares em Kiev e na cidade de Chernihiv, no norte da Ucrânia, enquanto a Ucrânia propôs adotar a neutralidade, status sob o qual seu país não se juntaria a alianças militares, como a Otan, nem hospedaria bases militares em seu território.

Perto das 13h (horário de Brasília), o barril de petróleo Brent – principal referência internacional – caía 3,01%, cotado a US$ 109,10, enquanto que o petróleo WTI tinha queda de 3,10%, a U$ 102,67. Mais cedo, os preços chegaram a saltar mais de 6%.
Na segunda-feira, os contratos do Brent fecharam em queda de 6,8%, a US$ 112,48 o barril. Os futuros do petróleo dos EUA (WTI) recuaram 7%, a US$ 105,96 o barril.

“Os preços do petróleo estão sob pressão novamente devido às expectativas sobre as negociações de paz entre a Ucrânia e a Rússia, o que pode levar a um afrouxamento das sanções…”, disse Hiroyuki Kikukawa, gerente geral de pesquisa da Nissan Securities.

No início do mês, o barril do Brent bateu US$ 139, a maior cotação desde 2008, após a invasão da Ucrânia pela Rússia e sanções impostos pelo Ocidente ao petróleo russo. Apesar do recuo nas últimas semanas, ainda acumula um salto de quase 40% no ano.

A forte queda na véspera ocorreu após os confinamentos impostos em Xangai para tentar reduzir a curva de contágio da Covid-19 alimentarem preocupações de fraca demanda e de desaceleração econômica na China. Xangai responde por cerca de 4% do consumo de petróleo da China, disseram analistas da ANZ Research.

Bolsas
As Bolsas europeias operam em alta nesta terça-feira, com os investidores atentos nova rodada de conversas entre Rússia e Ucrânia, em Istambul, na Turquia.

Perto das 13h (horário de Brasília), a Bolsa de Frankfurt subia 2,80%, a de Paris avançava 3,08% e a de Madri tinha alta de 2,98%. Já a Bolsa de Londres tinha ganhos de 0,86%.

Nos Estados Unidos, perto do mesmo horário, o Dow Jones subia 0,73%, enquanto o Nasdaq tinha alta de 1,28%.

No Japão, a Bolsa de Tóquio encerrou a sessão em alta de 1,10%.

Já na China as ações chinesas fecharam em baixa uma vez que o lockdown contra a Covid-19 na cidade mais populosa do país pesa sobre a perspectiva de crescimento. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,35%, enquanto o índice de Xangai teve baixa de 0,33%.

O subíndice do setor financeiro do CSI300 recuou 0,47%, enquanto o setor de consumo discricionário perdeu 1,23% e as empresas de tecnologia tiveram queda de 2%. O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 1,12%.

Fonte: G1

Artigos relacionados