No Enem 2020, como se proteger da Covid-19? Quais os riscos de pegar a doença durante a prova?

No Enem 2020, como se proteger da Covid-19? Quais os riscos de pegar a doença durante a prova?

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 vai ser aplicado a partir de 17 de janeiro, pouco tempo depois das festas de Natal e de Ano Novo. Segundo infectologistas, já há um agravamento da pandemia de Covid-19, com aumento no número de casos da doença após aglomerações nos feriados.

O Brasil voltou a registrar mais de mil mortes em 24 horas e a ter UTIs próximas à capacidade máxima de lotação. Segundo monitoramento do Imperial College de Londres, no Reino Unido, o índice de transmissão também subiu. Ainda assim, apesar da pressão de estudantes e de entidades, a Justiça negou o pedido de adiar o Enem.

“A curva [de infectados] vai subir. É um momento muito sério”, afirma Daniel Lahr, professor do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP).
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Enem, garante que seguirá regras para evitar a contaminação: redução do número de candidatos por sala, disponibilização de álcool gel nos locais de prova, salas exclusivas para grupos de risco e espaçamento entre as carteiras. Quem tiver sintomas no dia, deverá fazer o exame em outra data.

Será que isso é suficiente para proteger os alunos? Quais os riscos? Como evitá-los? Veja abaixo os principais pontos:

Qual a quantidade máxima de pessoas por sala, para que não haja riscos?
Segundo Raquel Stucchi, infectologista da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), não há como especificar uma quantidade máxima de candidatos por sala. O cálculo varia segundo:

o tamanho do espaço;
o tipo de ventilação;
a distância entre as pessoas;
a obediência aos protocolos sanitários (como uso de máscaras e de álcool gel).
É preciso manter de 1,5 a 2 metros entre as carteiras, no mínimo.

A Universidade de Colorado, nos Estados Unidos, elaborou uma calculadora que estima os riscos de contaminação segundo as condições de cada local. Em uma simulação, foram inseridos os seguintes dados:

sala de aula de 25 m de largura, 35 m de comprimento e 4 m de altura;
30 pessoas;
28ºC de temperatura;
4 horas de exposição;
dois domingos de aplicação da prova;
100% das pessoas com máscara adequada;
ventilação natural.
Se houver um candidato contaminado, o risco de um dos outros 29 pegar a doença é de 4,25%, de acordo com a universidade.

Fonte: Luiza Tenente, G1

Artigos relacionados