Na contramão do governo federal, senadores querem a prorrogação do auxílio emergencial

Seguindo a direção contrária ao governo federal, os senadores sugeriram nesta segunda-feira (28) a prorrogação do auxílio emergencial. O pagamento do benefício termina nesta terça-feira (29) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já anunciou que não irá prorrogar. O auxílio foi criado para conter a crise econômica causada pelas medidas de enfrentamento à Covid-19. No Senado, estão em análise propostas que determinam a concessão de novas parcelas do benefício. O senador Alessandro Vieira (Cidadania–SE) propôs a extensão das parcelas de R$ 300 por mais três meses, assim como o estado de calamidade. “É absolutamente indispensável uma vez que nós não temos ainda um processo de vacinação nacional efetivo e não temos um processo de retomada econômica que insira essas pessoas no mercado de trabalho”, pontua Vieira à rádio Senado. Já o senador Rogerio Carvalho (PT–SE) quer que o valor seja elevado para R$ 600 durante o primeiro semestre de 2021, equiparando-o ao das primeiras parcelas do auxílio instituído em 2020.

Fonte: Brumado Urgente

Artigos relacionados