Meio milhão de negativados aderiram à nova linha de microcrédito da Caixa

Meio milhão de negativados aderiram à nova linha de microcrédito da Caixa

Cerca de 480 mil negativados aderiram ao Sim Digital, nova linha de microcrédito para empreendedores da Caixa Econômica Federal, desde 28 de março, data em que o programa foi lançado.

Para pessoas físicas, o programa disponibiliza valores de R$ 300 a R$ 1.000, com taxa de juros a partir de 1,95% ao mês e parcelamento em até 24 meses. Para empresas, os valores ficam entre R$ 1.500 e R$ 3.000, com parcelamento de 18 até 24 meses e taxa de juros a partir de 1,99% ao mês.

Os recursos têm que ser utilizados obrigatoriamente para empreendimentos, sendo vetado seu uso para o pagamento de contas.

A abertura para negativados é característica diferencial do programa, que faz parte de pacote de Jair Bolsonaro (PL) para liberar mais de R$ 150 bilhões em recursos a trabalhadores e aposentados em ano eleitoral.

O Sim Digital tem R$ 3 bilhões de garantia no Fundo Garantidor do Microcrédito, que é administrado pela própria Caixa e recebeu esse valor de aporte do FGTS.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa, negou que o crédito vá endividar mais as pessoas.

“Elas já estão endividadas, só que elas não entram na base de dados do Banco Central”, afirmou, dizendo que muitas famílias carentes recorrem a meios informais ou a agiotas para obter recursos, pagando juros maiores.

Para a Caixa, o programa pode ser uma espécie de “motor de arranque” para o microcrédito no país. Guimarães disse que os valores são ponto de partida para a operação do microcrédito. À medida que os tomadores forem quitando as parcelas, os bons pagadores poderão receber limites maiores para novas contratações.

“Quem está entrando tem crédito menor do que quem já pagou”, disse Guimarães.

Com o respaldo de um Fundo Garantidor, outras instituições financeiras poderiam ofertar também essa modalidade de empréstimo, mas somente a Caixa até o momento decidiu operá-la.

O banco tem feito lives e publicado instruções detalhadas sobre como solicitar o empréstimo, o que acredita estar surtindo efeito na alta procura do produto.

Fábio Zanini/Folhapress

Artigos relacionados