Médica que recusou convite do Ministério da Saúde estava sofrendo ameaças

Médica que recusou convite do Ministério da Saúde estava sofrendo ameaças

A médica cardiologista Ludhmila Hajjar, que estava sendo cotada para assumir o Ministério da Saúde, recusou o convite do presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (15).

A Médica disse em entrevista concedida à GloboNews, que havia recebido diversas ameaças e que chegaram ao ponto de tentarem invadir o seu quarto no hotel em que estava hospedada em Brasília.

“Houve três tentativas de entrar no hotel. Pessoas que diziam que estavam com o número do quarto e que eu estava esperando-os. Diziam que eram pessoas que faziam parte da minha equipe médica. Se não fossem os seguranças do hotel, não sei o que seria”, disse Ludhmila.

Apesar das ameaças e dos episódios de terror, esses não foram os motivos determinantes que levaram a médica a recusar o convite para assumir a pasta, segundo Ludhmila, não houve “convergência técnica” com o governo e afirmou que o futuro do Brasil “é bastante sombrio”, com mais de 500 mil mortes.

Fonte: direitoparaavida.jusbrasil

Artigos relacionados