Brasil

Malhadense é presa em flagrante por estelionato após aplicar golpes do PIX falso em Carinhanha

 

Uma jovem malhadense foi presa em flagrante pelo crime de estelionato, depois de ter praticado da transferência falsa, na cidade de Carinhanha, no Oeste da Bahia.

A prisão aconteceu na tarde dessa quinta-feira dia 13 de julho, na cidade de Malhada, onde reside a investigada.

Segundo a Polícia Civil, na residência da estelionatária foram encontrados diversos produtos de beleza e calçados que possuem um valor global avaliado em mais de R$ 800,00 reais.

Ainda conforme apurou o site, a investigada que tem prenome de Jeniffer Tainá se passava pelos nomes de Gabi e Rafa para dar os golpes, que funcionavam, de tal forma, conforme revelou a Polícia Civil: Tainá se apresentava com falso nome ao contatar as lojas localizadas no município de Carinhanha, através do aplicativo WhatsApp, então ela negociava diversos produtos, dentre os quais produtos de beleza, sandálias, roupas entre outros. Ao final do negócio, ela apresentava comprovantes de PIX fraudados e pedia para que os mototaxistas, todos de boa-fé, pegassem o produto e entregassem em sua residência.

Os empregados das lojas confiavam no comprovante pix enviado pela jovem e não verificavam se na conta bancária realmente o dinheiro havia caído, razão pela qual entregavam de boa-fé os produtos envolvidos no negócio.

Como era a falsificação dos comprovantes.

A falsificação consistia em um agendamento do pagamento pix, o qual a investigada “recortava” da imagem do comprovante a informação agendamento e com um pincel colorido na cor branca também escondia o nome do emissor do pix, razão pela qual as lojas não conseguiam visualizar data do pagamento, nem a observação de promessa de pagamento e nem o nome da pessoa que estava enviando o tal pix.

Um dos golpes aplicados foi na loja Ateliê da Moda, na cidade de Carinhanha, onde a mesma apresentou comprovantes falsos de transferências tipo PIX, porém, como a proprietária não confirmou a chegada do valor na conta, ela não entregou as mercadorias, com exceção de duas bolsas no valor de 297 reais, onde a funcionária acabou entregando-as antes da confirmação do pagamento.

A Polícia Civi acredita que a abrangência desse crime possa ter chegado até a cidade de Guanambi e por esse motivo, pede que todas as pessoas, comerciantes e afins que foram vítimas dessa mulher, procurem à delegacia de Carinhanha para a devida apuração e instauração do procedimento criminal respectivo.

A presa foi submetido ao exame de corpo de delito e foi  encaminhado à Cadeia Pública  onde está à disposição do poder judiciário para as providências de praxe.

Fonte:  Alerta Bahia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo