Saúde

Mais de 11 milhões de crianças devem ser vacinadas contra a poliomelite em outubro

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomelite e a Campanha Nacional de Multivacinação vão acontecer entre os dias 5 e 30 de outubro. O objetivo, de acordo com a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), é atualizar a Caderneta de Vacinação das crianças e adolescentes até 15 anos. O dia “D” de divulgação e mobilização nacional será em 17 de outubro.

Uma das metas da ação é reduzir o risco de reintrodução do poliovírus selvagem no país, além de oportunizar o acesso às demais vacinas. O público alvo são as crianças com menos de 5 anos.

Para a multivacinação, o público alvo são as crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade, que terão a oferta de todas as vacinas do calendário básico de vacinação, com vistas à redução do risco de transmissão de doenças imunopreveníveis, assim como das taxas de abandono do esquema vacinal.

Diante do cenário do novo coronavírus, o Ministério da Saúde e a Sesab destacam a necessidade de vacinar o maior número possível de crianças e adolescentes, adotando-se todas as medidas de proteção amplamente divulgadas, para diminuir o risco de contágio da doença, tanto entre os trabalhadores da saúde, como entre a população.

“Contamos com o apoio de todos os profissionais de saúde e gestores, para que seja alcançado o êxito das estratégias de vacinação. Precisamos aumentar as coberturas vacinais e ampliar a proteção da saúde de nossa população”, enfatiza Vânia Rebouças, coordenadora do Programa Estadual de Imunização da Sesab.

Contra a poliomelite, devem ser vacinadas 11.282.424 crianças em todo o país. ““A meta é vacinar 95% do grupo alvo de um ano a menor de cinco anos de idade, de forma indiscriminada”, concluiu Rebouças.

A atualização do esquema vacinal dos menores de 15 anos deve preconizar a aplicação das seguintes vacinas: BCG; Hepatite B; Pentavalente; Rotavírus; Pneumococo.

A vacina contra Febre Amarela deve ser administrada a partir de nove meses de vida a 59 anos de idade, em pessoas não vacinadas ou sem comprovante de vacinação. A vacinação deve ser considerada também para pessoas com 60 anos e mais, gestantes e mulheres que estejam amamentando crianças menores de seis meses de vida, nunca vacinadas ou sem comprovante de vacinação.

O serviço de saúde deverá avaliar caso a caso, levando em conta o risco/benefício da vacinação. A vacina Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola) está indicada para crianças de 12 meses até quatro anos, 11 meses e 29 dias, devendo receber a 1ª dose e agendar a 2ª dose da vacina tetra viral ou tríplice viral mais varicela (atenuada), conforme a disponibilidade da vacina, com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.

A vacina Tetra Viral (sarampo, caxumba e rubéola e varicela) está disponível na rotina de vacinação para crianças com idade entre 15 meses e 4 anos 11 meses e 29 dias, e a vacina contra Hepatite A é indicada para crianças a partir de 15 meses até quatro anos 11 meses e 29 dias.

Crianças e adolescentes comprovadamente não vacinadas com a vacina Hepatite B ou com a Pentavalente devem receber três doses da vacina contra Hepatite B, com intervalo de 30 dias entre a primeira e a segunda dose e de seis meses entre a primeira e a terceira dose.

A vacina meningocócica ACWY é indicada para adolescentes de 11 e 12 anos de idade, não vacinados ou sem comprovante de vacinação, e a HPV deve ser administrarem duas doses, com intervalo de seis meses entre as doses, em meninas de 9 a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias) e meninos de 11 a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias), e meninas que não completaram o esquema vacinal.

Fonte: Bahia Noticia

Para cima