Insatisfeitos com Bolsonaro, policiais civis da Bahia aderem a paralisação nacional

Insatisfeitos com Bolsonaro, policiais civis da Bahia aderem a paralisação nacional

Os policias civis da Bahia decidiram, em assembleia realizada nesta terça-feira (16), aderir à campanha nacional intitulada ‘Lockdown da Segurança Pública’ e vão paralisar as atividades na próxima quinta (18), no horário das 8h às 12h. Segundo o Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sinpoc), a intenção do ato é cobrar a vacinação dos trabalhadores da segurança e demonstrar a insatisfação da categoria com a retirada de direitos imposta pela PEC 186, a chamada PEC Emergencial. “Nós decidimos aderir ao Lockdown da Segurança Pública para mostramos à sociedade o tratamento injusto que é dado às forças de segurança em todo o território nacional. O Governo Federal enviou ao Congresso um projeto para congelar salários e impedir promoções dos policiais. Os senadores e deputados, por sua vez, aprovaram parte desses ataques aos direitos dos servidores, imputando grandes prejuízos aos policiais”, comenta Eustácio Lopes, presidente do Sindpoc. O presidente da entidade lembra que os trabalhadores da Segurança convivem diariamente com os riscos da profissão e, diante da pandemia, mantiveram-se na linha de frente, pois exercem atividades essenciais. “Somos essenciais no combate ao crime e até mesmo no enfrentamento à covid-19, combatendo aglomerações e mantendo as delegacias abertas com todas as atividades funcionando, pois os criminosos não fazem quarentena. Mesmo assim, não tivemos nenhum tipo de reconhecimento, nem mesmo recebemos prioridade na vacinação, como aconteceu com os profissionais da saúde. Ao contrário disso, fomos duramente atacados com a retirada de direitos”, compleou Eustácio. Uma nova paralisação nacional da categoria está marcada para a próxima segunda (22).

Fonte: Brumado Urgente

Artigos relacionados