Igaporã realiza festa de São Sebastião e envio do padre Paulo Henrique

Igaporã realiza festa de São Sebastião e envio do padre Paulo Henrique

Entre os dias 15 e 24 de Janeiro, a Paróquia Nossa Senhora do Livramento de Igaporã realizou com muita fé e devoção a festa de São Sebastião, que foi marcada também pelo envio do Padre Paulo Henrique para a paróquia de Caculé.
Durante os 10 dias, apesar das limitações do tempo presente, a cidade se uniu em oração pedindo a intercessão do glorioso mártir, São Sebastião, pelo fim da pandemia da COVID-19, visto que o Santo é padroeiro contra as doenças contagiosas. Em Igaporã a devoção a São Sebastião existe há gerações e a festa deste ano fez parte da programação paroquial do jubileu dos 150 anos da Igreja Matriz.

Homenagens
O festejo também foi marcado pelas homenagens ao Padre Paulo Henrique, que foi recentemente transferido para Caculé. Durante o novenário, as pastorais e movimentos da paróquia expressaram sua gratidão ao padre através de mensagens e apresentações que emocionaram a todos. O ápice se deu no último domingo (24), quando, além de encerrar a festa de São Sebastião, também foi realizada a Missa de Envio e a paróquia oficialmente se despediu do Padre Paulo Henrique.

A celebração com tom de despedida foi encerrada com quatros homenagens, que levaram os fiéis presentes na Matriz às lágrimas. Cada uma com sua singularidade, que demonstraram os feitos do Padre, nas famílias, nas pastorais, na vida dos funcionários paroquiais e, claro, na vida da paróquia em si. Com o abraço do Jovem Cerimoniário, Jailson Barbosa, a paróquia inteira abraçou também o padre, com muito carinho, muita emoção e muito amor. E com os vivas da homenagem da PASCOM, ouviu as vozes ecoando o seu nome carregadas de gratidão
Carreata em louvor ao Santo
Ao anoitecer, o povo igaporaense teve a oportunidade de vivenciar um momento profundo de fé que abraçou a cidade inteira. A imagem de São Sebastião, percorreu todos os bairros de Igaporã, pedindo a ele o fim dessa terrível pandemia. A fé do povo que não pôde acompanhar a carreata foi demonstrada através de belíssimos altares, montados nas fachadas das residências, além de usar tradicionalmente o vermelho.

A carreata circulou por inúmeras ruas do município e em cada canto via-se um misto de emoções. Foi um momento de ver a passagem da imagem de São Sebastião, mas também a oportunidade de se despedir do padre, mesmo que distante.

Fonte: Neto Fagundes / Pascom Igaporã

Artigos relacionados