Bahia

Governo do Estado amplia o cuidado com a saúde dos baianos

 

Com mais de R$ 10 bilhões investidos em obras, equipamentos, serviços e recursos humanos na área da Saúde em 2023, o Governo do Estado continua ampliando, regionalizando e inovando para cuidar cada vez mais dos baianos. A execução dos recursos financeiros chegou a mais de 15% do orçamento estadual, historicamente o maior percentual. A legislação determina que seja no mínimo 12% destinado à saúde, o que vem sendo cumprido nos últimos 17 anos.

Todo o investimento tem impactado diretamente na melhoria da assistência à população. A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) vem qualificando cada vez mais as ações da Regulação, reflexo das diversas iniciativas ao longo do ano voltadas para área. Em 2023, até o momento, a Central Estadual de Regulação atendeu 270 mil pacientes. Do total dos pacientes, 68% foram regulados em até 48 horas e 86% em até 72 horas.

Para dar celeridade às transferências e cirurgias, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) entregou quatro novos hospitais e contratou leitos em unidades municipais, filantrópicas e privadas, acrescentando mais de 1.000 novos leitos à rede assistencial. Além disso, o número de médicos reguladores foi ampliado, totalizando mais de 220 profissionais, bem como expandiu a frota de UTIs móveis terrestres e aéreas, além do serviço de homecare, com a inclusão da oxigenoterapia prolongada, possibilitando a desospitalização imediata de pacientes internados. Atualmente já foram mais de 7.500 pacientes, sendo 3.707 somente em 2023, atendidos na internação domiciliar em todas as nove macrorregiões de saúde do estado.

Outra estratégia utilizada para ampliar a quantidade de leitos disponíveis foi o cofinanciamento estadual no tratamento das pessoas com doença renal crônica. O investimento anual de R$ 78,6 milhões possibilitou, simultaneamente, a liberação de 424 leitos hospitalares.

Na capital, a entrega do Hospital 2 de Julho com 246 leitos possibilitou acolher pacientes com perfil de clínica médica adulto e pediátrica, que correspondem a maior demanda estadual de solicitações feitas à Central Estadual de Regulação.

No interior, a estadualização e reabertura do Hospital Piemonte do Paraguaçu, em Itaberaba, que estava sob gestão municipal e não ofertava atendimento há mais de uma década, foi decisiva para ampliar e aumentar a resolutividade da rede assistencial de média e alta complexidade na região. A unidade foi totalmente reformada e ampliada, contando agora com 70 leitos, sendo 10 leitos de UTI adulto.

Já em Jaguaquara, o Hospital Regional tem permitido ampliar e qualificar a assistência na região Sudoeste e Sul. Com os leitos distribuídos entre clínicos, cirúrgicos, pediátricos, de saúde mental e isolamento, a unidade faz mais de 5 mil atendimentos ambulatoriais e de emergência por mês.

Em Jacobina, a estadualização do Hospital Regional Vicentina Goulart tem contribuído para regionalização da saúde, refletindo diretamente na regulação. A unidade reforça a assistência para toda a região nas especialidades de urgência, clínica médica, saúde mental, cirúrgica, traumato ortopedia, obstetrícia e pediatria.

Uma ação que gerou grande impacto na melhoria da saúde da população foram as Feiras Saúde Mais Perto. Ao longo de 2023, foram realizadas 27 edições resultando em 591.638 atendimentos, como cirurgias de catarata, consultas médicas e odontológicas.

Expansão da rede

O ritmo acelerado das obras e abertura de novos serviços adentra 2024. No interior está em construção novos hospitais e maternidades estaduais em Teixeira de Freitas e Juazeiro, além da reforma e ampliação de unidades em Irecê, Ipiaú, Feira de Santana e Jequié. Além disso, serão construídos novos hospitais em Alagoinhas e em Jacobina, unidades que fazem parte do Plano de Governo do governador Jerônimo Rodrigues.

Entregue em 2023, a ala de oncohematologia do Hospital Geral Roberto Santos resolveu um dos gargalos da Regulação. Na unidade, além do serviço de internamento, os pacientes contam com atendimento de emergência e acesso a atendimentos ambulatoriais com aplicação de quimioterápicos e tratamento clínico das doenças na área de oncologia, que cuida dos tumores malignos que afetam o sangue e os gânglios.

Outra unidade inaugurada em 2023 foi o Centro Estadual de Referência às Pessoas com Doença Falciforme – Rilza Valentim, que ampliou a atenção aos pacientes. Instalada em Salvador, a unidade tem capacidade para atender 100 mil pessoas por ano, um acréscimo de 25%, com atendimento ambulatorial multidisciplinar, que inclui especialistas em hematologia, ortopedia, hepatologia, neurologia, oftalmologia, além de nutricionista, psicólogo, odontologia, fisioterapeuta, assistente social, assistência farmacêutica.

Já o Hospital Ortopédico, localizado em Salvador, surge como uma resposta direta às necessidades crescentes de atendimento nessa área, que é uma das mais demandas na Central Estadual de Regulação. A unidade, que começará a prestar assistência em março de 2024 será gerida pela equipe do Hospital Albert Einstein, referência em saúde no cenário nacional, com sede em São Paulo. A decisão do Governo do Estado foi trazer ainda mais qualidade para a saúde pública estadual com essa parceria estratégica.

Também na capital, serão entregues, ainda no primeiro semestre de 2024, os hospitais de Cuidados Prolongados, o de Cuidados Paliativos e o novo Hospital Octávio Mangabeira.

No que tange ao fortalecimento da Atenção Primária, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia construirá 80 novas Unidades Básicas de Saúde, 20 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), 4 unidades de acolhimento, 15 Centros Especializados de Reabilitação (CER), além de cinco laboratórios regionais.

Ao todo, o planejamento da área da saúde contempla R$ 1,7 bilhão de investimentos somente em obras para erguer hospitais, maternidades, policlínicas, CERs, CAPS, unidades de acolhimento, UBS e laboratórios regionais.

No atendimento especializado, as policlínicas regionais de saúde tem alcançado bons resultados. Em 2023 foram entregues duas novas, uma em Ilhéus e outra em São Francisco do Conde. Ao todo, o estado conta agora com 26 unidades do tipo. Em 2023 foram 1,7 milhão de atendimentos.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) também foi ampliado com a entrega de 49 novas ambulâncias. Além das unidades do SAMU, 73 ambulâncias convencionais foram destinadas aos municípios, facilitando o transporte de pacientes, influenciando também em melhoria da regulação.

Tratamento contra o câncer

Inaugurada em outubro, a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) do Hospital Geral Prado Valadares (HGPV), em Jequié, é mais um serviço do tipo que passou a integrar a rede de assistência a pacientes com câncer. A nova Unacon oferta consultas ambulatoriais, exames, cirurgias e quimioterapia. A entrega está dentro da estratégia de regionalização da saúde do Governo do Estado e tem capacidade para realizar 5.300 sessões de quimioterapia por ano.

O extremo sul baiano é outra região que passou a contar com um reforço no atendimento em oncologia. Em março deste ano foi aberta a Unacon do Hospital Regional Deputado Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro. No norte baiano o reforço para a assistência oncológica foi em Paulo Afonso, com a contratualização de serviços no município.

Ainda na área de atendimento oncológico, o Hospital Geral de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, em breve passará a contar com o serviço de radioterapia. A obra do Governo Federal para implantação do serviço, que estava paralisada desde 2018, foi retomada.

A expansão da rede de atendimento em oncologia, aliada a boa cobertura da mamografia de rastreio de câncer de mama, é essencial para aumentar o sucesso no tratamento e reduzir a mortalidade pela doença. Em 2023, foram feitos 116 mil exames de rastreio em unidades móveis, que percorreram 115 municípios baianos. “Quando ofertamos a assistência na região do paciente, a adesão ao tratamento é muito melhor. Se evitarmos a necessidade de grandes deslocamentos, damos mais qualidade ao paciente. Antes, um paciente de Barreiras tinha que vir até mesmo para Salvador, o que não é mais necessário”, ressalta a secretária da Saúde da Bahia, Roberta Santana.

Bahia é referência nacional em saúde digital e assistência

Considerada referência nacional em saúde digital, a Bahia está investindo para aperfeiçoar a integração de dados, que reunirá em um só local, todas as informações dos pacientes na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) na Bahia.

Atualmente, todas as unidades da rede de assistência da Sesab, incluindo hospitais, maternidades, centros de referência, policlínicas e unidades de emergência já contam com prontuário eletrônico. Hoje já são mais de 13 milhões de baianos cadastrados, onde é possível acessar o histórico médico, o resultado de exames, acompanhar consultas, regulações e procedimentos, além do acompanhamento farmacêutico.

Já na área da assistência, a Bahia lidera o ranking nacional de cirurgias eletivas, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Com 44.113 cirurgias realizadas de março a agosto, a Bahia figura em primeiro lugar no número total de procedimentos executados. O estado que ocupa a segunda posição fez 29.452 cirurgias. O Programa Nacional de Redução das Filas de Cirurgias Eletivas, Exames Complementares e Consultas Especializadas (PNRF) foi instituído pelo Ministério da Saúde em fevereiro de 2023 com o objetivo de expandir a realização de procedimentos cirúrgicos em todo o território brasileiro e diminuir a espera por exames e consultas especializadas. Entre os procedimentos executados estão tratamento cirúrgico de varicocele, plástica mamária feminina não estética, histerectomia, litotripsia, retirada de placa e/ou parafuso e ressecção endoscópica de próstata.

Além do PNRF, a Bahia já vinha executando o Programa Estadual de Ampliação do Acesso às Cirurgias Eletivas. Em 2023 foram 157 mil procedimentos. Se contabilizados os números desde março de 2022, quando o projeto teve início, o total supera os 233 mil. São realizadas cirurgias de catarata, remoção de mioma, histerectomia (remoção do útero), colecistectomia (retirada de vesícula), cirurgias de hérnias inguinais, umbilical, epigástrica dentre outros, em especialidades como cirurgia geral, ginecologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, urologia e cirurgia vascular. A oferta das cirurgias vem ocorrendo de forma descentralizada e regionalizada, sendo os serviços executados em unidades estaduais e, quando necessário, o Governo do Estado contrata hospitais municipais, filantrópicos e privados.

A Bahia também é destaque na execução do Programa Mais Médicos. Atualmente, o estado possui cerca de 1.300 profissionais atuando pelo programa em todo o Estado, atingindo uma cobertura de cerca de 80% dos municípios.

Vacinação: uma prioridade para salvar vidas

Elevar as coberturas vacinais em toda a Bahia é o objetivo do Governo do Estado com o Programa Vacina Bahia. A iniciativa buscou fortalecer todo o calendário vacinal, principalmente no grupo de crianças até um ano de idade, com foco no aumento da cobertura das vacinas contra a Poliomielite, Pentavalente, Pneumo 10 e Tríplice Viral.

Um bom resultado já foi alcançado este ano. A cobertura vacinal dos imunizantes da primeira infância foi ampliada em mais de 10%, com a Bahia ficando acima da média brasileira. Exemplo é a cobertura da vacina pneumo 10, com 86,71%. A da Meningo C está em 80,82%.

Uma das estratégias que será implantada em 2024 para elevar ainda mais os índices de imunização é a Vacina nas Escolas. Haverá semanas de mobilização semestrais para imunização nas escolas públicas estaduais.

A meta do Estado é que o índice alcance, no mínimo, 95% do público-alvo de cada vacina e para isso, diversas ações foram adotadas: “A primeira delas é fortalecer o papel da ciência, pois durante a pandemia da Covid-19 surgiram diversas fake news que desacreditavam a vacinação e, infelizmente, tornaram milhares de brasileiros suscetíveis as formas mais graves da doença, ocasionando a morte. Para auxiliar os municípios, o Governo do Estado contratou vacinadores, adquiriu computadores e disponibilizou veículos para fazer vacinação itinerante e a busca ativa, levando os agentes de imunização até as comunidades quilombolas, indígenas e ribeirinhas dos municípios baianos”, afirma a diretora da Vigilância Epidemiológica do Estado, Márcia São Pedro, ao pontuar ainda que foram intensificadas as campanhas de vacinação em todo o estado.

Solidariedade em alta

Bahia tem mais de 58% de aumento na doação de múltiplos órgãos e retoma transplante de coração. “Tivemos um aumento expressivo de doadores e temos uma tendência de crescimento para o próximo ano. Estamos intensificando a campanha de conscientização da população sobre a importância da doação de órgãos e registramos uma redução da negativa familiar para cerca de 60%. A taxa ainda é alta, mas, quando comparada aos anos anteriores, é uma redução de 15%”, analisa o médico e coordenador do Sistema Estadual de Transplantes, Eraldo Moura.

E as boas notícias não param por aí. Com a retomada do transplante cardíaco na Bahia, atualmente o estado realiza cinco tipos de procedimentos: os transplantes de córnea, rim, fígado, coração e medula. E em 2024 está prevista a retomada do transplante de pulmão e o inédito transplante de pâncreas.

Fonte: Sesab

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo