Saúde

Cedeba marca Dia Mundial do Diabetes com reforço de informações

Controlar a glicemia é uma necessidade porque quem tem diabetes não faz o que tem vontade, mas se cumprir as regras, vive com mais qualidade. Quem está entre um diabético, tem que estar bem informado em casa, escola ou trabalho, todos que estão ao seu lado, sobre seu quadro clínico, precisa ser avisado”.

Em linguagem simples, o cordelista piauiense, Pedro Costa (já falecido), destaca na Cartilha do Diabético os cuidados com a doença que cresce em todo o planeta. Todos os anos o mundo se mobiliza para chamar atenção no Dia Mundial do Diabetes (14 de novembro) sobre o crescimento da doença. O Cedeba, como Centro Estadual de Referência em Diabetes, historicamente marca a data com atividades para seus usuários e, também, para a população em geral. Diante do distanciamento social, exigência da COVID 19, pela primeira vez o Cedeba não se cobrirá de azul (cor do diabetes).

Para os usuários do Centro, o Cedeba está distribuindo lacinhos na cor azul e máscaras alusivas ao Dia Mundial. Mas, mídias sociais da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, (Sesab,) cards e banners sobre o Diabetes ampliarão as informações

No dia 12 (quinta feira), das 10 às 12 horas, a fundadora e diretora do Cedeba, endocrinologista Reine Chaves, fará web palestra sobre ” Imunização de Pessoas com Diabetes: Prioridades e Importância”.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) são 425 milhões de diabetes no mundo, ocupando o Brasil a quarta posição em número de casos com 14 milhões de pessoas. Na Bahia, segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) são 203,7 mil.

Diagnóstico precoce

Apesar do crescimento do Diabetes – principalmente do tipo 2, associada ao aumento da obesidade – o mais grave como analisa a endocrinologista, Flávia Resedá, líder do Telecedeba, é o diagnóstico tardio. “Enquanto diabetes tipo 1 se manifesta de forma abrupta, no 2, acontece de maneira silêncios, sem que a pessoa nada sinta e a doença avança. E muitas vezes – analisa – o diagnóstico vem quando o paciente sofre um Acidente Vascular Cerebral, infarto, problema renal, complicações compatíveis com muitos anos de diabetes sem um bom controle da glicemia.

E para o diagnóstico precoce do diabetes, a Atenção Primária de Saúde (APS) tem um papel fundamental, destaca a endocrinologista.

E o diagnóstico ė simples, explica a endocrinologista: duas glicemias de jejum, acima de 126, nem precisa do teste de tolerância à glicose, exame que deve ser feito para glicemia maior que 100 e menor que 126.

O trabalho da APS é muito importante no rastreio do diabetes tipo 2, doença que, em muitos casos, está associada à obesidade, hipertensão e dislipidemias (colesterol e triglicérides elevados) Já o tratamento do diabetes ganha agora mais celeridade na Bahia com o Telecedeba, por meio da Plataforma Digital do Telessaúde, médicos do Cedeba farão teleconsultoria especializada, orientando o profissional da APS, discutindo casos , tirando dúvidas sobre condutas no tratamento. A partir do Telecedeba, será feito o encaminhamento de pacientes para o Cedeba (triagem). O modelo permitirá ampliar a assistência no interior, muito importante num estado de grande dimensão como a Bahia, pontua Flávia Resedá. E diabetes – explica – é para ser acompanhado pelo médico clínico, ficando o atendimento especializado na presença de complicações graves. Com o Telecedeba, o atendimento será mais célere, além de permitir o acompanhamento com menor intervalo.

O Telecedeba conta com a parceria da Coordenação de Educação em Diabetes e Apoio à Rede (Codar). Segundo a coordenadora da Codar, Graça Velanes, foram articulados nove encontros via plataforma de web conferência do Telessaúde para apresentar o perfil do usuário e Fluxo projeto Telecedeba.

Na oportunidade, as endocrinologistas Roberta Lordelo e Debora Angeli dialogaram sobre os Protocolos Clínicos e fluxo de encaminhamentos. Graça Velanes e Julia Coutinho fizeram articulações interinstitucionais para a realização dos encontros.

Como desdobramento serão promovidos no próximo ano encontros temáticos contribuindo para a qualificação do cuidado em todas as regiões com temas de interesse para toda a equipe de saúde da APS.

Dia mundial

O Dia Mundial do Diabetes foi criado em 1991 pela International Diabetes Foundation (IDF) em conjunto com a OMS (Organização Mundial da Saúde), em resposta às preocupações sobre os crescentes números de diagnósticos no mundo.

A data tornou-se oficial pela ONU (Organização das Nações Unidas) a partir de 2007, com a aprovação da Resolução das Nações Unidas 61/225. O dia 14 de novembro foi escolhido por marcar o aniversário de Frederick Banting que, junto com Charles Best, concebeu a ideia que levou à descoberta da insulina em 1921. (Site da Sociedade Brasileira de Diabetes – SBD).

Ascom Cedeba / SESAB

Para cima