Biden proíbe importação de petróleo da Rússia como sanção à guerra na Ucrânia

Biden proíbe importação de petróleo da Rússia como sanção à guerra na Ucrânia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira (8) que ordenou um embargo às importações americanas de petróleo e gás russos, a fim de aumentar as sanções impostas à Rússia por causa da invasão à Ucrânia.

Esta decisão foi tomada em estreita coordenação com os aliados dos Estados Unidos, ele disse.

A Rússia é maior exportador mundial de petróleo e gás natural. O país foi submetido a sanções financeiras globais por causa da guerra na Ucrânia, mas até agora suas exportações de energia estavam isentas.

O impacto econômico de um conflito envolvendo o maior exportador de petróleo e gás do mundo e dois de seus maiores produtores de grãos e metais também se intensificou nesta terça-feira (8), alimentando preocupações de que isso possa atrapalhar a recuperação global da pandemia de coronavírus.

No domingo (6), após a declaração do secretário de Estado americano, Anthony Blinken, de que os EUA já discutiam com a União Europeia a possibilidade de proibir importações de petróleo russo, as cotações do petróleo já haviam disparado.

O barril do petróleo tipo Brent chegou a bater a máxima de US$ 139,13 (R$ 706,11) na noite do domingo (6), refletindo o temor de investidores pelos potenciais impactos econômicos da guerra.

O preço do petróleo já teve uma disparada de mais de 20% somente durante a semana passada, por causa dos conflitos no Leste Europeu, que reduziram a oferta proveniente da Rússia, uma das principais produtoras globais da matéria-prima.

Embora estivesse sob pressão do Congresso dos EUA para proibir as importações do produto russo, Biden também se preocupava com os impactos da medida nos preços internos de combustíveis.

Nesta terça (8), os preços da gasolina nos EUA atingiram um recorde, o comércio de níquel industrial em Londres teve que ser suspenso depois que os preços mais que dobraram em questão de horas. A Shell britânica disse que estava interrompendo todas as compras de petróleo russo, pedindo desculpas por comprar um carregamento na semana passada.

REINO UNIDO ELIMINARÁ PETRÓLEO E DERIVADOS RUSSOS ATÉ FINAL DE 2022
O Reino Unido eliminará gradativamente as importações russas de petróleo e derivados até o final de 2022, disse o ministro dos Negócios, Kwasi Kwarteng, nesta terça-feira (8), pedindo às empresas que usem o período para garantir uma transição suave.

“Esta transição dará ao mercado, companhias e cadeias de suprimentos tempo mais do que suficiente para substituir as importações russas, que representam 8% da demanda do Reino Unido”, disse Kwarteng no Twitter.

Na segunda-feira (7), o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que seu governo estabeleceria uma nova estratégia de fornecimento de energia à medida que a invasão russa da Ucrânia e a subsequente alta nos preços da energia acelerassem a necessidade de novas fontes de energia e maior autossuficiência.

Também na terça-feira (8), a Comissão Europeia publicou planos para reduzir a dependência da UE do gás russo em dois terços este ano e encerrar sua dependência do fornecimento russo do combustível “bem antes de 2030”.

Kwarteng disse que está explorando opções para acabar com as importações britânicas de gás russo, que representam cerca de 4% da oferta no país

Clayton Castelani/Folhapress

Artigos relacionados